Texto e fotos subaquáticas : Juracy Vilas-Bôas
Fotos externas : Adriana Raynal e Juracy Vilas-Bôas
                                                        


Outro esporte bastante procurado por quem vai ao arquipélago é o surfe. Em algumas épocas do ano (principalmente entre dezembro e março), algumas praias do mar de dentro se transformam na capital do surfe do Brasil. As praias da Cacimba do Padre, Laje do Bode, praia da Conceição e a praia do Boldró são as mais procuradas, apesar de existirem outros lugares, como a praia da Biboca e Abracadabras, que são muito boas, porém com um grau de dificuldade maior e, portanto pouca gente surfa lá.

No entanto o mergulho autônomo é disparadamente o principal atrativo de Noronha. No pico do cone de uma cadeia vulcânica que se inicia a 4000m de profundidade estão os principais “points” de mergulho do Brasil. A transparência de suas águas e a magnitude de sua vida marinha fazem com que Fernando de Noronha seja o sonho de consumo de qualquer mergulhador. Conhecido internacionalmente, o arquipélago reserva aos seus visitantes um mundo submerso que deslumbra a todos que tem a oportunidade de conhecê-lo.

Quem vai a ilha e não mergulha, conhece apenas a metade da beleza que o local possui. Com diversas opções de mergulho, que vai desde o “batismo” (para quem nunca mergulhou) até os mergulhos técnicos com mais de 100m de profundidade, Noronha tem uma beleza submarina de dar inveja. As três operadoras existentes na ilha estão lotadas todos os dias do ano, o que faz com que Fernando de Noronha seja incomparavelmente o lugar que mais se mergulha no Brasil e um dos principais em todo o mundo.



 


A época do ano é importante fator para definir onde os mergulhos são realizados. No mar de fora estão os mais belos pontos de mergulho, principalmente pela visibilidade da água que pode atingir 50m. Mergulhar nas pedras secas (mar de fora) é uma inesquecível experiência. O cabeço Submarino, o naufrágio do Leão, a ilha do Frade, o cabeço da Caieira e Iuias também estão localizados no mar de fora. 
 

 

Pontal do Norte, Porto de Santo Antônio, Buraco do Inferno, Ressureta, Laje dos Dois Irmãos, Ponta da Sapata e a Corveta são os melhores pontos do mar de dentro. A Corveta Ipiranga, localizada defronte a baía dos Golfinho, é o ápice do mergulho autônomo da ilha. O naufrágio está intocável, mas o mergulho nele só é permitido aos mergulhadores avançados, com mais de 50 mergulhos “logados”, curso de nitrox e após serem avaliados em três mergulhos prévios. Aos que possuem todos os requisitos, recomendamos fervorosamente que separem um dia para a Corveta. E uma experiência ímpar que mergulhador nenhum jamais esquecerá.

 

 

O passeio de barco é realizado no mar de dentro e é uma excelente opção para o turista. Mas vai aí uma dica importante: procure saber qual o melhor horário para se avistar os golfinhos. Quase todos os dias do ano os golfinhos rotatores de Fernando de Noronha chegam à baía dos Golfinhos em grupos que vão de 5 a 2000 indivíduos ao nascer do sol para descansarem, acasalarem, amamentar seus filhotes e se refugiar de tubarões. À tarde retornam ao alto mar para se alimentarem, é nessa hora em que podemos vê-los de mais perto. A área da baía dos Golfinhos é a uma das mais protegidas do parque. Nela não é permitida a aproximação de qualquer pessoa, seja por terra ou por mar.

Passeios de caiaque e pesca esportiva completam as atividades aquáticas desse magnífico santuário.

 

Já em terra firme, a caminhada ecológica é uma atividade saudável que tem um encanto especial em Noronha. É que esse frágil e complexo ecossistema nos permite percorrer diversas trilhas onde podemos contemplar a grandiosidade da beleza natural local. A peculiaridade de cada uma delas, seja ponto de vista da velha arquitetura, seja pela riqueza da vida animal e vegetal ou simplesmente pelo deleite da sua beleza, é encantadora. São pelo menos 10 trilhas que nos permite ter uma idéia do porque de Fernando de Noronha ter sido diplomada em 2001 como Patrimônio Natural Mundial.

 

 

À noite existem algumas opções para o turista: o forró corre solto no Bar do Cachorro, música ao vivo na Pizzaria e o Japonês é uma excelente opção com música ao vivo e dancing a depender do dia. Mas antes, independente da sua escolha, assistir às palestra do IBAMA que ocorrem todas as noites com um tema diferente é quase que uma lei onde todos fazem questão de cumprir.

Pode parecer um pouco macabro, mas me recordo claramente do que pensei ao pisar na ilha pela primeira vez: “Conheci Noronha. Agora já posso morrer”.

  

Seja por terra ou por mar, Noronha é sem sombra de dúvidas um dos lugares mais bonitos de todo o nosso planeta.