Texto e fotos subaquáticas: Juracy Vilas-Bôas
Fotos externas: Juracy Vilas-Bôas e Adriana Raynal
 

Se existe um lugar no mundo em que todos, absolutamente todos, deveriam ter a oportunidade de conhecer um dia, esse lugar é BALI.
 

Em junho de 2000 eu estive em Bali pela primeira vez quando peguei uma “carona” do veleiro Três Marias do navegador Aleixo Belov. Foram dezessete dias a bordo entre a ilha de Thursday Island no norte da Austrália e a Ilha de Bali na Indonésia.

Ao conhecer Bali fiquei simplesmente maravilhado com a beleza, a cultura, a arte e a história do lugar. Mas só conheci apenas parte dos encantos que Bali possui. Não percorri a ilha de norte a sul, nem me aventurei nas profundezas de suas águas

Para falar a verdade, eu não tinha idéia sobre como eram os mergulhos em Bali, nem sequer se existia alguma operadora por lá. Só fui descobrir que os mergulhos em Bali eram excelentes, dois dias antes do meu retorno e resolvi guardar para uma nova oportunidade no futuro. Como eu estava indo mergulhar no Mar de Corais da Austrália, que é o melhor lugar de um dos melhores lugares de mergulho do mundo, achei que podia me conter até lá.

Passei todos esses anos imaginando quando eu retornaria a Bali. Dessa vez seria totalmente diferente: iria de avião e passaria uns seis ou sete dias por lá. Isso deveria ser tempo suficiente para conhecer os tão bem falados mergulhos, mas sem deixar de lado o que há de melhor na ilha que é a sua arte e sua beleza.

Finalmente, no início desse ano surgiu a oportunidade de voltar a Bali e apesar de não ser a melhor época do ano (visto que é período de chuva e a visibilidade cai um pouco) não deixei a chance passar. Dessa vez levei comigo minha esposa Adriana Raynal que também é minha modelo subaquática.

Bali é certamente uma ilha única não só na Indonésia, como no mundo. Com uma área de 5.700 Km2 e uma população de cerca de 3 milhões de habitantes, Bali fica localizada na Indonésia, que é um país formado por milhares de ilhas ao norte da Austrália.

A religião predominante é a hinduísta (Agama Hindu Dharma). No entanto, é um hinduísmo totalmente diferente do atualmente praticado na Índia. Na verdade, é uma mistura do hinduísmo, budismo, javanismo e antigas crenças indígenas. Vale lembrar que praticamente toda a Indonésia é de religião mulçumana.


Apesar de toda a influência do turismo e da globalização do mundo, parece que a tradicional sociedade não foi significativamente abalada. A população possui uma religiosidade extremamente forte onde o equilíbrio entre o corpo e o espírito tem papel fundamental na vida de cada indivíduo. Para se ter uma idéia, Bali possui mais de dez mil templos.

Acredito que Bali tenha a maior concentração de artista por metro quadrado do planeta. Sejam artesões de madeira, pedra ou prata, pintores ou dançarinos. Não importa, eles são dezenas de milhares por todos os lados. Quando não estão inspirados, muitos trabalham nas plantações de arroz que estão espalhadas por todo solo que fora fertilizado pelos vulcões existentes na ilha.


Para o turista, além das compras a preços realmente tentadores, existem mil e uma opções de passeios e diversão. Vale uma dica para você que pretende ir a Bali. Existem lojas com preços tabelados onde só consegue-se no máximo 10% de desconto nas compras, mas é um hábito local superfaturar os preços para que sejam negociados. Cinqüenta por cento de desconto é mais ou menos a faixa de desconto que se consegue com uma boa conversa e mostrando um pouco de desinteresse.