Texto e fotos subaquáticas: Juracy Vilas-Bôas
Fotos externas: Juracy Vilas-Bôas e Adriana Raynal



Começaremos falando então sobre o que há de melhor na vida subaquática de Bali.

É bem verdade que a quantidade de pontos de mergulho não pode ser comparada com outros lugares famosos como a Austrália, Bonaire, Papua Nova Guiné e Curaçau. Mas se falta quantidade, sobra qualidade.

Milhares de espécies marinhas fazem com que os mergulhos sejam simplesmente inesquecíveis nas águas límpidas de Bali, principalmente entre os meses de abril e outubro. Os meses de novembro a março são meses de chuva onde a visibilidade cai consideravelmente, mas não chega a interromper a atividade. A visibilidade média que é normalmente acima de 25m cai para 5 a 15m. Outro estímulo para ir na estação de seca é oportunidade única de ver o famoso “oceanic sunfish” mais comumente conhecido como o “mola-mola” e imensas arraias jamantas.

Vejam abaixo um pouco do que lhe espera nas águas de Bali:

Ilha de Nusa Penida – É uma ilha distante de quarenta minutos a uma hora e meia de lancha rápida a partir da praia de Sanur e onde existem inúmeros pontos de mergulhos principalmente na parte norte que possui um banco de corais com sete quilômetros de extensão. Normalmente os locais dos mergulhos são escolhidos ao chegar à ilha em função das condições de tempo. Considerado um dos melhores lugares para mergulho de Bali, pois consegue unir várias qualidades como boa visibilidade (15 a 50 metros), grande variedade de peixes de todos os tamanhos, muitos corais duros e moles. É também um local para se ver muitos peixes pelágicos, tartarugas, peixes napoleão, arraias manteiga, mantas, tubarões e o mais famoso peixe de Bali: o mola-mola. Em Nusa Penida é possível ver muitas das espécies marinhas do sudoeste da Ásia em um único mergulho. São points de mergulho da Ilha: Crystal Bay, Manta Point, Toya Pakeh Wall, Malibu Point, Dutapang, Buyug, Sental, entre outros.


Ilhas de Nusa Lembongan e Nusa Ceningan – São vizinhas da ilha de Nusa Penida. Possui as mesmas espécies de peixes e corais e visibilidade semelhante. Assim como em Nusa Penida, possui uma correnteza que varia de moderada a muito forte a depender da lua e do horário e mergulho “drift” é o mais recomendado na maioria das vezes. Também existem alguns points que são escolhidos a depender das condições de tempo. O forte das ilhas é a possibilidade de ver peixes pelágicos como mantas e oceanic sunfish (o mola-mola).

Amed – Nesse local podem ser realizados mergulhos saindo da praia ou embarcados. Os mergulhos saindo da praia são normalmente feitos por alunos ou iniciantes. Também é excelente para mergulho livre. Com uma visibilidade variando de 10 a 25m não possui correnteza ou no máximo bastante fraca. A cinco minutos de barco se chega a uma parede de corais onde os mais experientes podem fazer mergulhos profundos. É considerado um dos melhores lugares de corais duros de Bali apesar de também ter jardins de gorgônias belíssimos. Peixes de recife, garoupas, peixes escorpião, peixe papagaio, moréias são vistos com facilidade e com um pouco de sorte até pequenos tubarões de recife. Também é excelente para macro-fotografia.

 

Tulamben – Um dos mais populares pontos de mergulho da ilha fica um pouco ao norte de Amed. É um para mergulhos de praia. A operadora de mergulho Bluefin pegou os mergulhadores no hotel e seguimos em direção a Tulamben. São duas horas de Van passando por diversas paisagens fantásticas de Bali. Subimos e descemos as montanhas até chegar ao local do mergulho. Na verdade são dois pontos de mergulho. O primeiro é uma parede coberta com corais mole e com grande densidade de peixes. Mas normalmente todos querem fazer os dois mergulhos no naufrágio “Liberty”. Isso mesmo, essa é uma mistura de mergulho de praia com naufrágio. O “Liberty” foi um cargueiro americano que foi torpedeado na segunda guerra mundial por um submarino japoneses e naufragou em janeiro de 1942 a apenas 30m da praia. Hoje o naufrágio está coberto por gorgônias, esponjas e habitado por inúmeras espécies de peixes, tanto médios, pequenos e macro-fotografia. A correnteza é de fraca a moderada e a visibilidade pode chegar até a 25m. Tanto pode-se fazer mergulho autônomo como mergulho livre. É sem sombra de dúvidas um dos melhores pontos de mergulho de Bali, principalmente para quem gosta de naufrágios.

 

 


Menjangan Island – Fica localizada numa reserva natural no nordeste de Bali. Fica a quatro horas de carro da Baía de Padang e mais meia hora em pequenos barcos que saem de Bali. Os mergulhos no entanto compensam o sacrifício. Outra opção é fica hospedado por uns dias em algum hotel em uma pequena vila mais próxima. São diversos pontos de mergulho espalhados pelas ilhas que podem ser explorados em vários dias por diversos níveis de mergulhadores, dos mais iniciantes aos mais experientes. Uma visibilidade que pode alcançar cinqüenta metros aliada a esplêndida vida marinha faz com que Menjangan seja um sonho para todos. Na ilha podem ser encontradas uma grande quantidade e variedade de corais moles e duros. Da mesma forma, os peixes são de incontáveis espécies e estão por todos os lados. Ainda podem ser vistas espécies como tartarugas, arraias e tubarões, sem esquecer dos pequeninos peixes para macro-fotografia. Destroços do naufrágio “Anker” estão hoje harmonicamente integrados ao ambiente marinho.

Baía de Padang – Tem uma visibilidade não muito boa, mas pode chegar até a 15m entre os meses de junho a outubro. A apenas 15 minutos de barco da praia, mistura recifes com fundo de areia e algumas paredes. Essa pitoresca baía possui uma grande variedade de peixes e corais e há uma grande chance de ver tubarões. Além disso, peixe napoleão, peixe escorpião, lagostas, moréias, arraia “blue spotted stingray”, cuttlefish, lionfish, etc.

Além desses pontos descritos, ainda existem vários outros como a praia de Sanur, Gili Tepekong, Gili Selang, Gili Biaha, Gili Mimpang, etc, que podem e devem ser visitados.