Texto e fotos subaquáticas: Juracy Vilas-Bôas
Fotos externas: Juracy Vilas-Bôas e Adriana Raynal
 

É engraçado o que a paixão por um esporte ou uma atividade pode fazer conosco. Nós passamos a direcionar nossos esforços em uma direção que às vezes pode parecer absurda, ou pelo menos estranha, para algumas pessoas.


O Rosto de Papua Nova Guiné

Foi assim que o mergulho nos levou a esse destino totalmente desconhecido para os brasileiros. A maioria dos nossos amigos sequer ouviu falar de Papua Nova Guiné, também conhecido como PNG.

Papua Nova Guiné compreende a metade lesta da ilha de Nova Guiné e mais uma centena de ilhas, cujas maiores são New Britain, New Ireland, Bougainville e Manus. A Indonésia ao oeste, as Ilhas Salomão ao leste a Austrália ao sul são os vizinhos desse país que há pouco mais de 30 anos adquiriu sua independência da Austrália em 1975.

Com cerca de 461.700 km2 é bastante montanhosa com picos que chegam a atingir 4.509 metros de altitude. Possui mais de 750 dialetos, mas o inglês é a língua oficial. Como no início foi muito difícil para a maioria aprender o inglês, surgiu o Piding, ou inglês quebrado, que é mais ou menos como um inglês falado como eles lêem em sua língua nativa.

O mar das Ilhas Filipinas, do arquipélago da Indonésia e de Papua Nova Guiné é considerado o que possui a maior biodiversidade do mundo. Estima-se que PNG tem mais que o dobro das espécies marinhas do Mar Vermelho e mais que cinco vezes as do Caribe.

Por várias vezes os leitores da revista Scuba Diving elegeram Papua Nova Guiné como o melhor destino de mergulho do mundo. E olhe que PNG não recebe um grande número de visitantes se comparado com outros lugares de mergulho.


Lionfish em Kimbe Bay


Dri com os Corais de Kimbe Bay


Existem duas baías que dividem as atenções dos sortudos mergulhadores que têm a oportunidade de ir a PNG: a de Kimbe Bay e a de Milne Bay. Nós resolvemos então tirar a prova para somente então decidir qual dos dois locais seria o melhor.

Um dos pioneiros no turismo de mergulho no país foi o Sr. Max Benjamin que possui uma fazenda de plantação de palmeiras para produção de óleo de dendê, uma das atividades econômicas de PNG. Ao chegar a Kimbe Bay ele viu o enorme potencial de mergulho do local e para a nossa sorte ele resolveu transformar uma pequena parte da fazenda em um dive resort, o Walindi Plantation Resort.


O Walindi Plantation Resort é o ponto de partida para os mergulhos em Kimbe Bay. É um hotel simples, sem luxo ou sofisticação, porém bastante aconchegante. São doze bangalôs de frente para o mar em meio a uma verdadeira floresta, com um, dois ou três quartos. Possui serviço de lavanderia e três refeições tipo “buffet” inclusas na diária.


Bangalô no Walindi Plantation Resort